Nossa proposta pedagógica

Concepção de Criança
 
Concepção de criança é uma noção historicamente construída, que vem mudando ao longo dos tempos.
A criança, como todo ser humano,  é um sujeito social e histórico e faz parte de uma organização familiar que está inserida em uma sociedade, com uma determinada cultura, em um determinado momento histórico. É profundamente marcada pelo meio social em que se desenvolve, e, por sua vez, nele também deixa suas marcas.
A criança tem na família, um ponto de referência fundamental, apesar da multiplicidade de interações sociais que estabelece com outras instituições  sociais.
As crianças são singulares, pensam, sentem e agem de acordo com seu repertório interno e sua visão de mundo. 
Hoje, não mais se acredita na ideia de que crianças apenas seriam “mini adultos.” São seres completos, nascem com capacidades cognitivas, afetivas, sociais e motoras que serão desenvolvidas ou ampliadas através dos conhecimentos que lhes chegarem, formal ou informalmente. 
Nas interações que estabelecem desde cedo com as pessoas que lhe são próximas e com o meio que as circunda, as crianças revelam seu esforço para a compreensão do mundo em que vivem. 
A criança é um livro que possui páginas escritas pela genética e páginas em branco que serão escritas pela mão do universo exterior.

Desenvolvimento Infantil
Concepção de desenvolvimento

O Espaço Lúdico faz a opção pela concepção de desenvolvimento da teoria construtivista, ou seja, a criança é um ser ativo que se desenvolve gradual e integralmente (nos aspectos: cognitivo, afetivo, social e motor) a partir da relação com o outro (adultos e crianças) e com o ambiente em que está inserida.
Apesar da nossa preferência pela concepção de desenvolvimento construtivista, podemos aproveitar parte das outras concepções de aprendizagem:
• Acreditamos que a manipulação de objetos e materiais auto-instrutivos colabora para o desenvolvimento da criança desde que integrada a um contexto significativo. Acreditamos na necessidade da atuação do professor de fazer intervenções adequadas no momento das atividades deste gênero, com o objetivo de que a criança revigore seu processo de desenvolvimento.
• Acreditamos também na necessidade de exercitar habilidades específicas como percepção, memória, atenção, linguagem e pensamento lógico, desde que não sejam treinos mecânicos, sem atribuição de significados e sem estarem inseridos em um contexto onde a criança possa lidar com questões afetivas e sociais.

Aprendizagem
Concepção de aprendizagem

Para o Espaço Lúdico, a aprendizagem deve basear-se nas características do pensamento infantil, utilizamos, assim, as informações da Teoria Construtivista - pesquisa apresentada pelo biólogo e epistemólogo Jean Piaget - na sustentação de nossas observações e conhecimentos  sobre o pensamento da criança de  0 a 6 anos.
No processo de construção do conhecimento, as crianças utilizam-se das mais diferentes linguagens e exercem a capacidade que possuem de ter ideias e hipóteses originais sobre aquilo que buscam desvendar. Nessa perspectiva, as crianças constroem o conhecimento a partir das interações que estabelecem com as outras pessoas e com o meio em que vivem.
Para nós, a aprendizagem não deve ser um acúmulo de informações estanques. A criança deve compreender, interpretar, levantar hipóteses, vivenciar, questionar, transferir para outras situações o  conteúdo estudado.
Acreditamos na aprendizagem significativa quando ela passa pelas experiências citadas no parágrafo anterior e pela interação social, seja feita criança / criança ou a partir da mediação professor / aluno.
Aprender não é apenas saber desempenhar determinada ação e sim perceber quando é possível desempenhá-la, bem como entender de que maneira adaptá-la a outras circunstâncias.

Eixos de Trabalho

RCNEI
Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil 
Proposta elaborada em 1998 pelo MEC/ SEF
Ministério de Educação e do Desporto e Secretaria da Educação Fundamental – Brasil.

Como trabalhamos com estes eixos?
Projetos temáticos com a duração de um trimestre

Eixos: 
Formação pessoal e social:

As formas pelas quais aprendemos a identificar-nos, dependem da maneira de como somos identificados pelo mundo que nos rodeia. A construção da noção de identidade e a da autonomia dizem respeito ao conhecimento do desenvolvimento e dos usos de recursos pessoais para enfrentar o mundo. Esta aprendizagem é fundamental para a autoestima e o bom desenvolvimento psíquico da criança. 

Movimento
O movimento humano é mais do que um simples deslocamento do corpo no espaço: constitui-se em uma linguagem que permite às crianças agirem sobre o meio físico e atuarem sobre o ambiente humano, mobilizando as pessoas por meio de seu teor expressivo. Ao brincar, jogar, imitar e criar ritmos e movimentos, as crianças apropriam-se do repertório da cultura corporal na qual estão inseridas.

Música
A música é a linguagem que se traduz em formas sonoras capazes de expressar e comunicar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio da organização e relacionamento expressivo entre o som e o silêncio. A música está presente em todas as culturas, nas mais diversas situações: festas e comemorações, rituais religiosos, manifestações cívicas, políticas etc.

Arte
As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentido a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por meio da organização, tanto bidimensional, como tridimensional, de linhas, formas, pontos, além de volume, espaço, cor e luz na pintura, no desenho, na escultura, na gravura, na arquitetura, nos brinquedos, bordados, entalhes etc. As Artes Visuais estão presentes no cotidiano da vida infantil. Ao rabiscar e desenhar no chão, na areia e nos muros, ao utilizar materiais encontrados ao acaso (gravetos, pedras, carvão), ao pintar os objetos e até mesmo seu próprio corpo, a criança pode utilizar-se das Artes Visuais para expressar experiências sensíveis.

Linguagem oral e escrita
O trabalho com a linguagem constitui um dos eixos básicos na educação infantil, dada sua importância para a formação do sujeito, para a interação com as outras pessoas, na orientação das ações das crianças, na construção de muitos conhecimentos e no desenvolvimento do pensamento.
Aprender uma língua não é somente aprender as palavras, mas também os seus significados culturais, e, com eles, os modos pelos quais as pessoas do seu meio sociocultural entendem, interpretam e representam a realidade.
A educação infantil, ao promover experiências significativas de aprendizagem da língua, por meio de um trabalho com a linguagem oral e escrita, constitui-se em um dos espaços de ampliação das capacidades de comunicação e expressão e de acesso ao mundo letrado pelas crianças. Essa ampliação está relacionada ao desenvolvimento gradativo das capacidades associadas às quatro competências linguísticas básicas: falar, escutar, ler e escrever.

Sociedade e Natureza
O mundo onde as crianças vivem constitui-se de um conjunto de fenômenos naturais e sociais indissociáveis diante do qual elas mostram-se curiosas e investigativas. Desde muito pequena, pela interação com o meio natural e social no qual vivem, as crianças aprendem sobre o mundo, fazendo perguntas e procurando respostas às suas indagações e questões. Como integrantes de grupos socioculturais singulares, vivenciam experiências e interagem num contexto de conceitos, valores, ideias, objetos e representações sobre os mais diversos temas a que têm acesso na vida cotidiana, construindo um conjunto de conhecimentos sobre o mundo que as cerca. 
O eixo de trabalho denominado Natureza e Sociedade reúne temas pertinentes ao mundo social e natural. A intenção é que o trabalho ocorra de forma integrada, ao mesmo tempo em que são respeitados as especificidades das fontes, abordagens e enfoques advindos dos diferentes campos das Ciências Humanas e Naturais.

Matemática

As crianças, desde o nascimento, estão imersas em um universo do qual os conhecimentos matemáticos são parte integrante. 
As noções matemáticas (contagem, relações quantitativas e espaciais etc) são construídas pelas crianças a partir das experiências proporcionadas pelas interações com o meio, pelo intercâmbio com outras pessoas que possuem interesses, conhecimentos e necessidades que podem ser compartilhados. As crianças têm e podem ter várias experiências com o universo matemático e outros que lhes permitem fazer descobertas, tecer relações, organizar o pensamento, o raciocínio lógico, situar-se e localizar-se espacialmente.
Fazer matemática é expor ideias próprias, escutar as dos outros, formular e comunicar procedimentos de resolução de problemas, confrontar, argumentar e procurar validar seu ponto de vista, antecipar resultados de experiências não realizadas, aceitar erros, buscar dados que faltam para resolver problemas, entre outras coisas. Dessa forma as crianças poderão tomar decisões, agindo como produtoras de conhecimento e não apenas executoras de instruções. 
Portanto, o trabalho com a Matemática pode contribuir para a formação de cidadãos autônomos, capazes de pensar por conta própria, sabendo resolver problemas.

Atividades Complementares
• Vivências Corporais
• Brincadeiras e Brincantes
• Inglês
• Oficina Criativa